Loading...

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A USP É A CRAKOLANDIA

A USP NÃO É A CRAKOLANDIA , foi o que disse Fernando Haddad, futuro candidato a prefeito de São Paulo ,parece que esta afirmação criou um medo de uso da situação seja da universidade de São Paulo seja da região na Luz onde se concentram os usuários de crak, mas o interessante é o uso do medo como ferramenta de ação do estado, medo é dor parece a solução para tudo no estado de São Paulo, seja na USP seja “CRAKOLANDIA” ,o medo da expulsão, ocorre com tanto com alunos que se manifestou politicamente, quanto com usuários de drogas ,sem direito a manifestação ou defesa previa , direitos estes garantidos pela constituição federal , que não pode ser contrariada seja por leis estaduais ou municipais devido a hierarquia legal, mas voltando ao assunto, além do medo parece que espalhar o problema para dar menor visibilidade faz parte da política de medo , e dor como foi dito por um dos coordenadores da ação na região da LUZ, a descentralização da reitoria da USP em vários pontos da cidade ,em prédios até alto padrão alugados com dinheiro publico para desmobilizar as cobranças da comunidade acadêmica com relação as ações desmedidas e com uma total ausência de transparência do uso do dinheiro publico, (tapete de 40.000,00 para novo Gabinete do reitor, que tem um histórico de processo administrativos por sua gestão na faculdade de direito, uma das mais tradicionais da universidade, onde foi declarado Perssona não grata, tanto pela administração da mesma, quanto por seu docentes e funcionários,) ou seja a transferência do problema e a dificuldade de sua visualização parece ser a Política, Social, menos Democrática, e mais Boçal possível, mas o medo de uma eleição onde os problemas da cidade poderiam ser utilizados em uma eleição, e sua exploração por parte de adversário é o que move as escolhas de governo, o medo de uma ação federal na região da Luz que me recuso a chamar de CRAKOLANDIA, que poderia beneficiar o candidato adversário se tornou uma possibilidade as mesmas medidas tomadas na USP, são aplicadas : descentralização do problema e controle social por medo e dor, criar uma invisibilidade social parece ser o objetivo de tais ações tão bem coordenada , não para o beneficio publico ,mas para o beneficio eleitoral, e quando um deputado tenta aprovar um projeto de lei que proíbe a divulgação de crimes cometidos por candidatos a cargo publico eletivo durante o processo eleitoral, PL 2.301/11 quer proibir a divulgação ou publicação de qualquer “sindicância, procedimento investigatório, inquérito ou processo, ou qualquer ocorrência de natureza penal” envolvendo candidatos durante o período eleitoral de autoria do deputado federal do PSDB-MG, Bonifácio de Andrada.parece bem oportuna para as eleições de 2012, e 2014, quando vamos ver novamente as tentativas de tomada do poder em um projeto de privatização do Estado, e estatização da privada onde o cidadão que cobra os seus direitos garantidos constitucionalmente ,vai ficar literalmente na M#%@ .

Nenhum comentário:

Postar um comentário